Associações e Entidades
de Apoio aos Pacientes
com Psoríase


Patients Organizations


IFPA


LATINAPSO


Dia Mundial da Psoríase



Destaques



AAPP


ABAPP


ABRAPSE


ACEPP


APAM


PSORIERJ


PSORIPAR


PSORISUL

 

 

 

Bem Vindo ao site psoriase.inf.br

O site psoriase.inf.br foi desenvolvido com o objetivo de trazer mais informações sobre a doença para os pacientes e seus familiares. O site foi idealizado pelo Prof. Fabrício Lamy - Dermatologista do Rio de Janeiro, especializado no Tratamento da Psoríase, com a consciência de que a falta de informações adequadas sobre a doença tem significativo impacto negativo para o paciente e toda a sociedade.


A psoríase é uma doença inflamatória (irritativa) de pele, não contagiosa, de evolução crônica, arrastada, lenta e que pode afetar também as unhas, o couro cabeludo e, em alguns casos, até as juntas (articulações). Caracteriza-se por lesões avermelhadas e descamativas, geralmente localizadas nos cotovelos, joelhos e no couro cabeludo, mas que podem ocorrer em qualquer parte da pele, comprometendo inclusive toda a pele em alguns pacientes. Apesar de não ser uma doença grave, o fato de apresentar lesões bastante avermelhadas e com muitas escamas em áreas expostas da pele, muitas vezes visíveis para as outras pessoas, pode levar a um certo abalo psicológico dos pacientes, comprometendo-lhes a vida social. Esse fato também pode dificultar um pouco o tratamento, pois o envolvimento psicológico (ansiedade, depressão) tende a colaborar com a piora das lesões da pele da psoríase.


A palavra psoríase tem origem na Grécia Antiga, pois no idioma grego a palavra "psor" significa “coceira” e "iase" significa “ação ou condição de”, ou seja: “condição de coceira” na tradução direta para o nosso idioma. Quase todas as doenças têm a origem dos seus nomes na Idade Antiga e na Idade Média, principalmente nos idiomas grego e latino. Esses locais, como a Grécia Antiga, são considerados os berços da medicina, onde os primeiros médicos, cientistas e estudiosos começaram a tentar reconhecer, entender e dar nomes às doenças que conhecemos hoje. Esses nomes, como no caso da psoríase, muitas vezes eram dados baseados na aparência e nas características mais simples das doenças.


Para entendermos o que ocorre na psoríase, precisamos saber um pouco do que ocorre na pele normal, sem psoríase. Nas peles ditas “normais”, a camada mais externa (chamada epiderme) está sempre se renovando, aos poucos, de baixo para cima, conforme as células vão se dividindo (isto acontece para impedir a invasão na pele por causadores de infecções, e para mantê-la sempre novinha e sadia). Essas células vão se dividindo e, aos poucos, vão perdendo a ligação com as células vizinhas, de modo que se destacam facilmente e de forma imperceptível ao chegarem na superfície da pele. Para se ter uma ideia, em uma pessoa normal, esse processo de renovação natural da superfície da pele pode gerar uma perda de até 3% do seu peso corporal em pele, ao longo de 1 ano, e sem a pessoa se dar conta disso.


O que ocorre na pele das pessoas com psoríase é que o processo de renovação da epiderme se acelera muito. Em vez de demorar 2 semanas, passa a ocorrer em menos de 5 dias, ou seja, fica pelo menos 3 vezes mais rápido. Sendo assim, as células da superfície da pele não têm tempo para amadurecer o suficiente, chegam na superfície, mas ainda estão grudadas nas suas “vizinhas” e, por isso, vão se soltando em grandes grupos de células (que reconhecemos como aquelas escamas grandes, prateadas e brilhantes que observamos na psoríase). Esse aspecto das escamas da psoríase acaba incomodando muito os pacientes, pelo fato de essas escamas ficarem se soltando em todos os locais onde o paciente encosta, quando mexe no cabelo, senta ou levanta, cumprimenta ou tem contato com outras pessoas. Isto acaba sendo um fator sempre muito desagradável para os pacientes, que acabam preferindo evitar o contato com outras pessoas ou aparecer em público. A questão das escamas que se soltam é sempre citada como um motivo de abalo emocional para os pacientes.